Acompanhe nossas notícias e saiba
o que andamos fazendo.

Sustentabilidade

Equipe da Casa Cor 2012 - Vinlanda Florianópolis

Arquiteta Vinlanda Florianópolis na Mostra Casa Cor SC 2012

Postado em maio 21, 2012

Foi inaugurada no dia 15 de maio a Mostra Casa Cor SC 2012. O evento deste ano está localizado num dos mais bonitos cartões postais de Florianópolis, o mirante do morro da Lagoa da Conceição.

O evento contará com 42 ambientes como lofts, suítes, salas, lavabos, cozinhas, entre outros. O destaque deste ano é a fachada do evento, a Fachada do Mirante, que foi projetado pela arquiteta da Vinlanda Paola Simoni, juntamente com as arquitetas Marina Makowiecky, Tatiana Junkes e a engenheira Cláudia Brandão.

Para o projeto as arquitetas buscaram utilizar materiais mais sustentáveis como por exemplo o painel em OSB na fachada principal, o ecowood no deck, o ecobrick na fachada lateral e a iluminação totalmente produzida com LED’s. Foram utilizados materiais com alto índice de reaproveitamento, como é o caso da estrutura metálica, que será totalmente reaproveitada após o evento. Ainda no quesito sustentabilidade, foram instaladas no telhado da entrada principal placas fotovoltáicas para a produção de energia verde durante o evento.

O artista plástico Alexandre Freire foi o convidado para assinar o belíssimo painel da entrada principal.

Casa Cor Santa Catarina é a quarta maior Casa Cor do País, em termos de público pagante, atrás apenas de Rio de Janeiro, São Paulo e Belém. Sob o tema MODA. ESTILO. TECNOLOGIA., o evento acontece de 15 de maio a 24 de junho.

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Reuso de águas cinzas, Vinlanda na vanguarda da adoção de práticas sustentáveis

Reuso de águas cinzas, Vinlanda na vanguarda da adoção de práticas sustentáveis

Postado em abril 19, 2012

Por que reciclar água?

Embora o Brasil possua 12% da água doce disponível no planeta, a oferta não é uniforme no território nacional. A maior parcela dos recursos hídricos encontra-se na Região Norte, distante dos centros urbanos onde se concentra a maioria da população brasileira. A preocupação com a gestão dos recursos hídricos na edificação tem para a Vinlanda dois objetivos claros e importantes. Em um contexto mais próximo e imediato, promover a redução e economia no consumo predial e individual de água potável dos clientes. Como conseqüência o segundo objetivo, favorecer uma utilização mais racional do recurso hídrico disponível, o que será extremamente necessário para enfrentar uma possível escassez de água no futuro dentro do contexto regional e até mundial.

Niterói e o reuso de água

O município de Niterói conta com uma população estimada de 487 562 habitantes (2010) e uma área de 129,375 km² ejá se encaixa hoje nos perfis dos grandes centros. O reuso com alternativa para economia de água, vem sendo estimulado em Niterói principalmente devido à lei de recursos hídricos.

A Lei nº 2856 de reaproveitamento de águas cinza, que estende as obrigações da lei municipal 2630, de 7 de janeiro de 2009 sobre o reaproveitamento da água das chuvas, é aplicável a todas as obras com mais de 500 m² e que tenham volume potencial de consumo igual ou superior a 20 metros cúbicos de água por dia. Nesses edifícios, as águas cinzas devem ser reaproveitadas para fins não potáveis, como vaso sanitário e lavagem de pisos.

Em vigor na cidade desde julho do ano passado, o projeto de reuso de águas cinza foi escolhido pelo prêmio GreenvanaGreenbest 2012 como uma das dez melhores iniciativas públicas de 2011 voltadas para sustentabilidade no Brasil. A idéia, que já está sendo praticada em pelo menos 18 edifícios residenciais, além de uma empresa de ônibus em Niterói, repercutiu em Brasília, onde o Congresso Nacional estuda torná-la obrigatória em todo país.

Niterói foi premiada pela iniciativa de normatizar a utilização de águas cinzas

 

 

 


Niterói foi premiada pela iniciativa de normatizar a utilização de águas cinzas.


O que é reuso de água?

A reutilização ou reuso de água ou, ainda em outra forma de expressão, o uso de águas residuárias, não é um conceito novo e tem sido praticado em todo o mundo há muitos anos. Existem relatos de sua prática na Grécia Antiga, com a disposição de esgotos e sua utilização na irrigação. No entanto, a demanda crescente por água tem feito do reuso planejado da água um tema atual e de grande importância.Nos empreendimentos da Vinlanda em Niterói estão sendo adotados dois sistemas de reuso e aproveitamento de águas, sempre para fins não-potáveis: sistema de aproveitamento das águas pluviais (AAP) e reciclagem das águas cinza (RAC).Por água pluvial entendemos toda a água de chuva devidamente coletada e armazenada. Por água cinza chamamos todo efluente que não possui contribuição da bacia sanitária (esgoto primário) e da pia de cozinha (gordura), ou seja, é o esgoto gerado pelo uso de banheiras, chuveiros, lavatórios, máquinas de lavar roupa e tanques. Nestas edificações, os sistemas de reuso de água que realizam o tratamento de RAC estão sendo direcionados exclusivamente para as descargas sanitárias e os que utilizam AAP,têm o seu reaproveitamento para fins tais como irrigação, lavagem e limpeza do condomínio.

Vinlanda em parceria com a SRA Engenharia

A Vinlanda, que tem como propósito adotar soluções cada vez mais ecológicas em suas construções, já vem utilizando o sistema de reuso, mesmo antes da legislação que o torna obrigatório. Para implantação do sistema de reuso nos seus empreendimentos, foi desenvolvida uma parceria com a SRA Engenharia. A empresa nacional,que é sediada em Niterói, desenvolveu um sistema de reuso de água cinza que utiliza a própria gravidade, inerente a verticalidade dos edifícios, para promover o tratamento de efluentes, sem necessidade de equipamentos eletromecânicos e gastos extras com energia elétrica.

A SRA possui hoje seis sistemas em pleno funcionamento em Niterói, e pelo menos doze em construção, cada qual produzindo aproximadamente 36 mil L de água de reuso por dia. A redução no volume do consumo de água é da ordem de 30%, o que pode representar até 50% de economia na conta de água do condomínio. Após a implantação do sistema, a empresa oferece assistência técnica e treinamento, conforme estabelece a Lei 2856, de Julho de 2011, a mesma citada anteriormente.

Como funciona o sistema?

Sistema exclusivo e único, utilizado e desenvolvido pela SRA Engenharia é composto de três etapas distintas e igualmente importantes. Caixa de acumulação, Filtros Verticais e Filtros Lentos compõem as três etapas e os equipamentos do Sistema.

A caixa de acumulação (retenção e desinfecção), localizada abaixo do pavimento de desvio das tubulações coletoras do esgoto secundário, tem por objetivo acumular o maior volume de efluente possível.Os filtros verticais ficam logo abaixo da caixa de acumulação. É a segunda e mais importante etapa do sistema e são produzidos hoje pela própria SRA.

SRA Engenharia - Filtros VerticaisSRA Engenharia - Água de Reuso dos Filtros Verticais

 

Os filtros horizontais lentos, ou seja, caixas preenchidas por cascalhos, areias, seixos rolados e carvão antracito, por onde a água flui lentamente, ficam  logo a pós os filtros verticais. Por fim são aplicadas ainda cloração e radiação ultravioleta gerando uma água não potável, mas com uma qualidade muito acima dos níveis preconizados pela ABNT, que é destinada a um reservatório independente, que nos projetos da Vinlanda alimentam exclusivamente as descargas sanitárias.

SRA Engenharia - Filtros Horizontais LentosSRA Engenharia - Cisterna de Água de Reuso com a água

 

De acordo com o diretor da empresa, Alexandre Santos, o sistema não consome energia, é limpo e não gera lodo. O único rejeito provém da limpeza periódica dos filtros verticais através de drenos e pode ser descartado direto na rede coletora de esgoto.

SRA Engenharia - Funcionamento do Sistema

Tags: , , , , , , , ,

eliane ecostone

Vinlanda e sustentabilidade

Postado em fevereiro 12, 2011

Nossa empresa desenvolve em projetos inovadores, com uma forma arrojada e diferente de pensar a incorporação imobiliária.

Buscamos equilibrar ao máximo a balança do custo real x custo ao meio ambiente de nossos produtos, analisando desde ações de projeto à escolha das técnicas construtivas passando é claro, pela seleção dos materiais.

Dentre as ações de sustentabilidade que adotamos hoje, as principais estão o sistema de reuso de águas cinza, reutilização de águas de chuva e busca de matérias alternativos.

O Reuso de águas cinza é um sistema composto pela captação e filtragem das águas de máquina de lavar, tanque, lavatórios e ralos, tratamento desta águas, e direcionamento para um reservatório e sistema de distribuição exclusivo para os vasos sanitários.

O Reaproveitamento de águas de chuva em áreas urbanas, compreende a captação e o armazenamento das águas de chuva para fins não potáveis, tais como, combate a incêndio, rega de jardins, manutenção e conservação das áreas comuns do prédio, garagens e lavagens de carros. Estas tecnologias geram 30% de economia  do consumo de água.
Usando materiais menos poluentes, que não degradem e que contribuam para a manutenção do meio ambiente, a Vinlanda, busca sair do arquétipo tradicional  da construção civil.

Atualmente já está em prática em nossas especificações:

Cerâmica para substituição de piso de madeira, Cerâmica para substituição de pedras são Tomé, elevadores mais eficientes em utilização da energia, vasos sanitários com sistema Dualflux de economia de água, lâmpadas fluorescentes ou de led nas áreas comuns dos prédios, utilização de materiais certificados como os tubos de instalação e principalmente o cerâmicas, com destaque para o Ecostone.

Parceria para utilização do Ecostone,

Sempre na busca por materiais menos agressivos ao meio ambiente, seja no processo de fabricação, ou na substituição por outros menos ambientalmente degradantes, nos deparamos com opções de cerâmicas para substituição de pedras naturais. Mas o processo de fabricação de uma cerâmica, ainda não é total mente limpo,

Neste sentido, após estudarmos as opções de pisos ecológicos disponíveis no mercado, apresentamos uma proposta de associar a marca do produto Ecostone da Eliane ao nosso próximo empreendimento,  Trésor, localizado no Ingá em Niterói – RJ. Esta escolha se deu depois de verificarmos a seriedade com que a Eliane encara o tema sustentabilidade.

O Ecostone, é o único porcelanato produzido no Brasil reconhecido com o “atestado de produto ecológico”, conferido pela BRTÜV, empresa especializada em certificação e qualificação de produtos e serviços. A unidade brasileira da BRTÜV faz parte do centenário grupo alemão TÜV Nord, um dos três maiores do setor de certificação normativa para gestão de produtos no mundo.

A iniciativa da parceria, com seus termos ajustados entre ambas as diretorias está agora em fase de desenvolvimento; se bem sucedida, poderá ser replicada nos nossos outros empreendimentos.

Tags: , , , , , , , , ,

IMG_1707

Projeto arquitetônico, com participação de arquiteta da Vinlanda, é avaliado pelo Procel e recebe classificação A.

Postado em janeiro 28, 2011

O Inmetro e a Eletrobras entregaram, no dia 29 de novembro de 2010, as primeiras etiquetas de eficiência energética residencial. A entrega foi feita durante o lançamento da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia para residências e edifícios multifamiliares, em São Paulo. A Etiqueta de Eficiência Energética de Edificações faz parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) e prevê a classificação do desempenho dos edifícios por meio da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), com faixas de A (mais eficiente) a E (menos eficiente), assim como nos eletrodomésticos.

O selo é dividido em duas categorias, unifamiliar e multifamiliar. Na categoria unifamiliar a CRESOL – Cooperativa de Crédito Rural recebeu a etiqueta nível A para dois projetos apresentados, sendo um para a zona rural de Chapecó – Zona bioclimática 3 e outro para a zona rural de Frei Rogerio – zona bioclimatica 2.
Os projetos foram elaborados pela empresa ATO Gerenciamento e Projetos através dos arquitetos Maria Andrea Triana, Paola Simoni (arquiteta Vinlanda Florianópolis), Rogério Versage e Márcio Sorgato com o objetivo de melhorar a eficiência energética e conforto térmico das casas financiadas pela cooperativa, assim como adaptar as edificações de acordo com as necessidades dos agricultores.

Os dois projetos foram pensados conforme critérios bioclimáticos de forma a estarem na melhor orientação solar, obterem melhor aproveitamento da ventilação e iluminação natural, comprovados através de simulação energética. Também foram desenhados para terem um uso racional de água, através de espera para captação de água da chuva e aparelhos com menor consumo, assim como sistema de aquecimento de água através de coletores solares.

Tags: , , , , , , ,